8 de nov de 2012

Capitúlo XV

Ciumes

Um bom tempo se passou após a luta de Quiron, já havia anoitecido e Adalberon e os outros haviam parado em algum lugar da floresta para dormir.
No local onde estavam, entre os homens só se ouvia a conversa sobre a mulher que foi encontrada.
-Que bela mulher, que corpo perfeito.
Dizia um dos moradores animado.
-Será que conseguiria "algo" com ela?
Dizia outro morador gargalhando.
E todos outros homens gargalharam com ele.
As mulheres não gostavam nada do que ouviam, mesmo sendo uma humana ela despertava o interesse dos homens de outras raças.
-Não gosto nem um pouco dela.
Sussurrava Agnes enquanto cuidava de Zeno e Alexandros.
-Disse algo querida?
Perguntou Adalberon.
Não, não disse nada.
Respondeu Agnes tentando disfarçar.
-Tive a impressão de ter ouvido sua voz.
Insistia Adalberon.
Encolhendo os olhos e esboçando um leve sorriso  Agnes disse. - Deve ter sido só impressão sua, eu não disse nada.-
Estendendo as mãos em direção a Agnes, Adalberon falava falava com um pouco de medo. - Tá... ta bem, entendi querida... he, he, he.
Mudando de assunto, Adalberon perguntava um tanto ansioso.
-Será que aquela mulher vai acordar logo?
-Porquê?  se interessou por ela?
Falou Agnes levantando uma de suas sobrancelhas e encarando Adalberon.
-N... Não, eu amo apeans você. Outra mulher não tem espaço na minha vida.
Falou Adalberon colocando a mão sobre a cabeça de Agnes e batendo levemente.
-Espero que sim.
Falou Agnes.
Adalberon então gritou a todos.
-Vamos dormir, amanhã andaremos muito. Não podemos ficar parados em um único lugar.
Os moradores então apagaram a fogueira e foram dormir.
No outro dia, bem cedo, Adalberon acorda primeiro que os demais e vê que a mulher a qual ele encontrou já não estava mais lá.
Ele levanta e vai procura-la, não precisou ir tão longe pois ela estava próxima ao lugar onde estavam.
Ele a viu de longe  gritou.
-Hey! Espere, quero falar com você!
A mulher então olhou para traz e viu Adalberon que corria em sua direção.
Com medo ela correu floresta a dentro, mas foi alcançada por Adalbron que segurou seu braço e disse.
-Não precisa ter medo, não vou fazer nenhum mau a  você. Eu a  encontrei caída, estava prestes a ser atacada por uma cobra.
A mulher apenas olhou para ele de forma inocente e tímida e nada disse.
-Vamos voltar para onde os outros estão. Deve estar com fome, lhe darei algo para comer.
Falou Adalberon soltando o braço da mulher.
Então eles seguiram de volta a onde os moradores estavam.
Enquanto os outros dormiam, Adalberon preparou uma bebida feita da mistura de raízes e ofereceu a ela.
-Vamos, beba um pouco.
A mulher pegou o pequeno vaso de barro com a bebida e tomou vagarosamente.
-Tome
Falou Adalberon entregando a ela um pedaço de algo que ele havia caçado.
Ela deu uma pequena mordida e bebeu mais um pouco.
-Qual seu nome?
perguntou Adalberon.
Hmm?!
-Qual seu nome?
Perguntou novamente Adalberon.
Eu... Eu não lembro...
Respondeu a mulher olhando para baixo meio angustiada.
Então Adalberon a fez outra pergunta.
-De onde veio?
-Eu...Eu não sei...
Falava a garota entristecida.
-Então perdeu a memoria... é um grande problema. mas não se preocupe, você ficará connosco até recupera-la.
Falou Adalberon tentando animala.
E eles continuaram conversando por mais algum tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário