14 de nov de 2012

Capitúlo IX

Massacre

Após a fala de Regulos, todos seus guerreiros escravos entraram em posição de batalha.
Todos os moradores estavam completamente paralisados de medo, suavam bastante e tudo que sai de suas bocas  eram palavras incompletas ou sem sentido, a situação a qual  passavam era tão fora do comum que as estavam levando a insanidade mental.
-Vamos meus homens, meus escravos, me divirtam, matem todos de forma lenta e cruel.
Era por volta de quinze moradores contra quinze soldados, mas a experiência de batalha dos soldados espartanos era grande, como se cada um deles fossem quatro.
Então os soldados escravos de Regulos partiram para cima dos moradores, eles empunhavam grandes espadas na mão direita e poderosos escudos na esquerda.
Um dos soldados então corta a perna de um dos moradores que gritava muito por causa da dor.
Os outros moradores ao verem os soldados vindo em suas direções e vendo seu companheiro caído e sangrando dão as costas e começam a correr em desespero.
O que teve a perna arrancada então dizia. - Por favor, não me mate, eu imploro, por favor.
Era um pedido em vão. Ele teve sua garganta perfurada lentamente pela espada do guerreiro, após se debater em agonia acabou morrendo.
-Que belo espetaculo, que divertido. HAHAHAHAHAHA.- Gritava em excitação Regulos que também gargalhava muito.
Os moradores que eram perseguido pelos soldados foram atingidos por golpes de espada nas costas e nas coxas para que caíssem, eles não deveriam ser mortos rapidamente pôs Regulos desejava um grande espetaculo.
- Vamos, cortem eles em pedacinhos, deixem a cabeça por ultimo, façam com que sofram, quero que sofram até suas almas gritarem de agonia.
- Dizia Regulos em alto tom enquanto apreciava o mar de sangue que se formava.
Os moradores foram cortados aos poucos, eles não perdiam os membros com golpes diretos, mas sim tinham seus membros lentamente cerrados. Logo suas pernas e braços foram arrancados, eles vomitavam, choravam, gritavam, ficavam a todo momento implorando por suas vidas enquanto Regulos assistia a tudo com um grande sorriso.
O morador que estava sendo cortado por seu ex-companheiro dizia.
 - Por Favor, não faça isso, a pouco estávamos do mesmo lado, vamos, não me mate.-
Ao ouvir as palavras do morador que estava caído e sendo esquartejado, do olho do morador que se tornou escravo de Regulos começava a sair lágrimas de sangue.
Como ultimas palavras que seu amigo caído iria escutar, ele disse  -M... me des..culpe...- e então arranca a cabeça do ex companheiro.
Logo todos moradores estavam mortos e só restava Quiron no campo de batalha.
Quiron que antes desejava lutar, agora desejava a morrer rapidamente mais que tudo.
Os soldados escravos corriam em direção a  Quiron que estava com uma espada em sua mão, ele a colocou  em direção ao seu próprio peito e no momento que o atravessou uma voz veio a sua cabeça, e logo ele se via em um local totalmente escuro, só se via dois grandes olhos vermelhos.
-Hum, no fim não passou de um covarde, mas ainda há chance de vencer.- Dizia
-Quem é você? O que deseja?-  Perguntava Quiron
-Sou aquele que poderá lhe dar o poder. Não deseja eliminar o filho de Hades?
-Sim.- Respondeu Quiron. - Eu quero mata-lo, mas como matar alguém que tem controle sobre a morte?- Perguntou.
-Isso é simples, basta fazer um pacto comigo e mata-lo não será mais impossivel.
-O que deseja?- Perguntou Quiron
-Sua alma, apenas isso, sua alma...-
-Não me importo em perde-la para criar o futuro a qual desejo. Leve-a!- disse Quiron.
-Pacto feito.- Sussurrava a voz.
Voltando ao campo de batalha, Quiron estava com a espada atravessada em seu peito e logo caiu de joelhos com sangue saindo por sua boca.
-Então ele se matou... Que sem graça.- Falou Regulos.
O Semideus ordena que todos seus soldados escravos parem, que não era mais necessário ir ataca-lo.
-Voltem meus escravos!-  Exclamava.
-Esse infeliz já tirou sua própria vida, ele não tem senso de humor.- Continuou a falar.
Se aproximando o Semideus dizia.
-Agora irei ao menos arrancar a cabeça dele, vocês tiveram toda diversão. Mesmo que já esteja morto, ainda será divertido.
Uma forte luz começou a sair dos olhos e da boca de Quiron.
-Mas o que está havendo?-
Dizia o Semideus surpreso com o que estava havendo.
Quiron então levanta com uma expressão totalmente diferente, seus olhos brilhavam e ele expressava total confiança.
Então disse. - Se prepare, agora quem vai se divertir sou eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário