20 de nov de 2012

Capitúlo III

Tumulto

No dia seguinte, logo cedo enquanto o sol ainda nascia se ouvia muito barulho no vindo do centro da vila, o que era perigoso pois podia atrair os Semideuses ao vilarejo.
Acordando com o barulho Adalberon diz -Mas...O que esta havendo?
Deixando os outros dormindo, ele sai e se depara com uma multidão. Centauros, Ciclopes e humanos, todos bastante vibrantes, o medo que sentiam se tornou em euforia, mas o que tinha acontecido?
no centro da multidão podia-se ver um centauro de cabelos vermelhos e olhos verdes, tinha um corpo forte e falava palavras que Adalberon não entendia  por causa do barulho.
Para escutar melhor ele entrou no meio  do tumulto e se aproximou dele que continuava a falar, agora com suas palavras mais claras.
-Não podemos continuar nos escondendo, temos que lutar com todas nossa vida.
gritava o centauro enquanto a multidão fazia ainda mais barulho.
-Se esconder não vai nos salvar, apenas adia um pouco nossa morte, uma hora ou outra eles devem nos achar.
Adalberon então sai do meio de todos e toma a frente do centauro.
-Vocês estão loucos? porque fazem isso?
Então todos começaram a fazer silencio e só se ouvia agora a voz de Adalberon.
- Se continuarem gritando logo os Semideuses estarão aqui.
-Quem é você? disse o centauro a Adalberon.
-Sou Adalberon.- Respondeu.
-Me escute Adalberon, não tenho intenção de ficar escutando suas baboseiras.
o centauro falava de forma fria.
-Baboseiras? estamos escondidos para poder viver, e você me diz que é baboseira?
dizia Adalberon já alterado.
-Eu tenho um filho e quero que ele viva bem, ir atrás dos Semideuses é suicídio não acham?
Falava Adalberon se dirigindo a todos.
-Eu Quiron não concordo com o que ele diz, se não lutarmos isso nunca terá um fim.
Adalberon de forma mais calma falou.
-Não estou dizendo que não devemos lutar, digo que não devemos lutar agora.
Não temos nenhuma condição de lutar, ou armamentos para isso, devemos nos preparar para isso.
A maioria das pessoas do mundo morreram em batalha, isso inclui especialistas em combate, e mesmo assim foram derrotados.
Porque acham que nós, na maioria agricultores e artesãos conseguiríamos vencer?
Quiron então deu as costas e enquanto caminhava disse. - Tudo bem, faremos como você quer. Me siga e falaremos melhor sobre isso tudo.
Se silenciou por um momento e logo disse em bom tom. - Todos voltem as suas vidas, não há nada mais para escutar.
Então o centro da vila começou a se esvaziar e as pessoas voltaram aos seus afazeres.

Um comentário: